atrix_desk

150 horas testando o Atrix

A venda de smartphones não para de crescer. Só no primeiro semestre de 2011 houve um aumento de 165%, na comparação com o mesmo período de 2010.

Os dados foram apresentados pela Nielsen, que não especifica os fabricantes. Assim podem entrar nesta conta os aparelhos top de linha e, obviamente, os chineses baratos.

Fazem parte do primeiro time aparelhos da Samsung, Motorola, Nokia, HTC, Sony, Apple.

O modelo Atrix faz parte deste primeiro time.

Coração poderoso

A começar pela CPU de núcleo duplo com 1GHz, 1GB de DDR2 RAM, 16GB de armazenamento onboard (além de um slot microSD para outros 32GB). Suficientes para todas as tarefas que você imaginar fazer em um smartphone.

Todo este poderio tem uma explicação. A Motorola também desenvolveu o Atrix para ser uma central de trabalho. Através de docks (comprados separadamentes) este smartphone foi concebido para substituir um notebook ou ser conectado a uma tv HD.

Qualidade de construção ele tem

Ao ser ligado, destaca-se uma tela de 4 polegadas que ocupa praticamente todo o corpo do aparelho.

Pontos também para a ergonomia deste Atrix: tamanho, peso e “pegada” fazem dele um dispositívo móvel agradável de usar no dia a dia.

E se você dá uma importância extra à segurança, vai gostar do scanner digital, que só libera o acesso depois de se deslizar o dedo no botão superior. O mesmo usado para ligar e desligar.

Mas nos testes que fiz foi preciso passar o dedo várias vezes para este leitor de impressão digital funcionar.

O volume fica do lado direito e tem fácil acesso. E do lado esquerdo, slot microSD e porta HDMI.

Embaixo ficam os alto-falantes e na parte de trás uma câmera para fotos e vídeos.

Rodando sem trancos

No uso intensivo ele nunca “engasgou”. Mesmo rodando vários aplicativos. E a rolagem se mostrou suave, sem trancos, o mesmo acontecendo com a sensibilidade ao toque.

A tela de 960 x 540 pixels, touchscreen capacitiva tem uma qualidade muito boa. Rodar games e vídeos realmente é uma tarefa que ele desempenha muito bem.

Alguns sites apontam uma demora para o Atrix rodar vídeos mais “pesados”, com algumas travadas. Provavelmente não seja culpa do tamanho dos arquivos rodados, mas uma incompatibilidade com alguns destes arquivos.

Sua câmera tem 5 megapixels, mais do que suficientes para tirar fotos com boa qualidade, mesmo em condições desfavoráveis de luminosidade. Ela também funciona como uma câmera de vídeo de 720 pixels, a 30 frames por segundo, bem razoável. Existe ainda uma webcam frontal, apenas para o básico.

Ah!, já ia me esquecendo. Ele é um smartphone e é preciso falar também da qualidade do som nas ligações via celular. Achei o som apenas razoável (como os demais smartphones).

Surpreendente são as ligações via Skipe, excelentes.

Android desatualizado

Difícil é explicar por que a Motorola entrega um smartphone tão potente e recheado de recursos com uma versão Android 2.2 Froyo personalizada, em vez do Android 2.3 Gingerbread.

Bem, depois da venda da sua divisão de smartphones e tablets para o Google, obviamente isso vai ter um fim.

Não que o Android Froyo seja ruim. Pelo contrário. Ele é muito estável e sua arquitetura permite uma navegação entre tarefas bem intuitiva. E das dezenas de aplicativos que baixei nenhum apresentou problema ou bug.

MotoBlur, eu gostei!

Li muitos reviews criticando esta interface do Atrix. O MotoBlur reúne mensagens e sincroniza os contatos das redes sociais, através da conta do seu email. Achei muito prático.

Lapdock: tentativa de transformá-lo em um laptop/netbook

Como falei no início, o Atrix pode ser acoplado a um dock (chamado lapdock) que parece uma laptop bem fino e razoavelmente leve.

Infelizmente não pude testar este recurso mais a fundo. Ao conectar o Atrix ao dock um comando na tela do smartphone insistia que havia alí uma ligação HDMI.

Provavelmente deveria ter executado alguma configuração extra. Mas ao pedir auxílio à assistência da Motorola, não recebi nenhum auxílio.

Mesmo assim, em um dia qualquer, a conexão resolveu dar sinal de vida. E vi que ele realmente poderia realizar muitas tarefas, através de sua tela de 11,5 polegadas (resolução de 1366 x 768 pixels), um teclado e o touchpad.

Ao ser conectado, entra em cena a aplicação Webtop.

O que me surpreendeu foi a escolha do navegador para rodar neste dock: o Firefox (que nas últimas versões anda muito lento e instável) , e não o Chrome. Estranho.

Mas não espere ter a mesma experiência de ter um verdadeiro laptop ou netbook. O lapdock da Motorola é muito mais uma extensão do Atrix para tarefas de edição de texto e navegação pela web. Ele até roda vídeos do YouTube, games e Flash.

Mesmo a navegação fica prejudicada, pois é preciso “acionar” a barra de rolagem do navegador para movimentar uma página da web.

O lapdock também exerce a função de carregador de bateria do Atrix e possui entradas USB.

HD Dock: dispensável

Para fechar o pacote a Motorola oferece ainda um dock menor, composto por três portas USB e uma HDMI. Servindo como carregador de bateria também (neste caso ele funciona como um relógio de mesa).

Ao conectar o Atrix você pode acessar os comandos multimídia e conectá-lo, via cabo, a uma tv LCD. O dock inclui também um controle remoto.

Sinceramente não vi muita utilidade neste acessório. Afinal, eu poderia fazer uma conexão HDMI simplesmente plugando um cabo diretamente na tv.

Conclusão

O Atrix é um dispositivo robusto, bem construído, muito rápido. Possui uma câmera de boa qualidade e um sistema operacional desatualizado, mas muito estável.

Mas a ideia de transformá-lo em uma estação de trabalho não deu muito certo. Os docks, que fazem parte deste pacote, são acessórios dispensáveis.

Mesmo assim, o conceito é muito bom e a Motorola/Google poderia aperfeiçoá-lo nos seus próximos dispositivos.

O dispositivo deste teste foi cedido pela Motorola do Brasil.

Tabela completa especificações

Motorola Atrix

Tela Resolução Tela de 4 polegadas TFT capacitiva touchscreen (540 x 960 pixels)
Peso 135 gramas
Dimensões A x L x P = 117.8 x 63.5 x 10,95 mm
Duração da bateria
Conexões Bluetooth® 2.1+EDR / Wi-Fi 802.11 b,g,n
Browser Android HTML Webkit com suporte ao Flash 10.1
Câmera 5 megapixels, autofocus, LED flash, Zoom Digital
Vídeo Gravação em HD (720p / 30fps), reprodução em Full HD (1080p)
GPS A-GPS
Sistema Operacional Android 2.2 Froyo
Processor Dual Core 1GHz
Memória RAM 1GB / DDR2 RAM
Memória interna SSD até 16GB + 32GB no microSD
Aplicativos Android Market
Sensores Proximidade, luz ambiente
Chamadas Vibracall Redução de ruído Transferência de chamadas Reconhecimento de voz Chamada em espera
Outros Sensor de impressão digital

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.

  • EU tenho o dock e acho indispensável. Com ele eu consigo ligar na tv e consigo diretamente com o celular.

    Mas tem uma coisa que você não testou. Provavelmente não sabia. Ligar o teclado e mouse usb e conectar em uma tv.
    Enfim, um computador com sistema android, msn, música, jogos. Pelo teclado e mouse.

    Sem contar o controle para o dock, que é mto elegante, e funciona muito bem para escutar músicas e assistir filmes.