O pacotão Office/Windows, da Microsoft, é uma daquelas suites que causam amor e ódio entre os usuários.

Vamos analisar então algumas alternativas Office para tablets com Android.

Veja que nesta lista quase todos são aplicativos pagos.

Foram os escolhidos porque eles mantêm grande parte das funções de edição (e não apenas a visualização, como a maioria dos apps gratuitos).

Como você pode ver acima, este artigo foi criado em 2012 (atualizado em outubro de 2013).

Se eu fosse redigir o título hoje eu mudaria o “4 ótimas alternativas” para apenas “4 boas alternativas”.

Obs: não se iluda, é quase impossível encontrar um aplicativo “Office” que não dê problemas com arquivos vindos do PC com Windows.

 

ThinkFree Office Mobile for Tablet / 16 reais 20,14 reais 23,24 reais

O nome pode enganar, na verdade ele é um aplicativo pago. Na versão completa custa 23,24 reais.

São três programas dentro do aplicativo: Write, Calc e Show.

O ThinkFree trabalha bem nos quesitos abrir, editar e criar documentos, já que ele trabalha com uma formatação semelhante ao Office original.

E ainda vem com ThinkFree Online para a visualização e edição de documentos via browser (Firefox, Chrome, Explorer, etc).

Com isso, também é possível compartilhar documentos para trabalhos em grupo.

O forte do ThinkFree é o seu layout limpo

Se você quiser fazer um teste existe a uma versão gratuita, só para visualização.

 

Google Docs / Gratuito

Não se iluda, o Google Docs só funciona para trabalhos simples de edição.

O Google vem fazendo um esforço para aprimorar o GD. Leia: Editor de textos do Google mudou. Eu gostei.

O aplicativo ganhou um upgrade recente. Ficou mais simples e com mais recursos. E melhorou a sua interface para os dispositivos móveis.

Neste nova versão o layout também foi aperfeiçoado para ser usado em tablets

A maior crítica é que não se pode fazer edições off-line (só a visualização).

Uma das vantagens do Docs é abrir (e salvar) em praticamente qualquer tipo de arquivo do Office (do tipo docx, por exemplo).

Isso não quer dizer que seja possível abrir um arquivo e reter toda a formatação original.

Alguma coisa pode ser perdida, mas se o documento original não tiver muita formatação, o Google Docs mantem a edição do arquivo importado, exceto arquivos do Power Point.

Fique esperto: o Google Docs tem sido detonado por alguns usuários. É bom dar uma olhada nas resenhas, na página do aplicativo, no Google Play.

Outro ponto negativo: diferentemente do outro aplicativo do Google, o QuickOffice, quando você faz o upload de arquivos do Office no Google Docs, em seu formato nativo, ele faz uma conversão para os seus próprios formatos, para que você possa editá-los. Assim, você pode perder um pouco da formatação original.

 

Documents To Go / 27,39 reais 32,58 reais

O Documents To Go é um dos mais tradicionais editores. E também foi o primeiro a adaptar a sua interface para tablets.

DTG é um bom aplicativo para trabalhar com arquivos nativos do Word, Excel e PowerPoint, criados num PC com Windows.

Ele permite armazenar arquivos localmente, claro, mas também dá para sincronizar com seu computador e acessar os arquivos armazenados no Google Docs. Apesar de ser básico e simples é fácil de usar.

A DataViz inexplicavelmente decidiu aumentar o preço da suite DTG (em outubro de 2013), mas, ao mesmo tempo, não oferece uma evolução significativa do seu produto.

Outro ponto negativo é a falta de suporte para os consumidores brasileiros, que muitas vezes são simplesmente ignorados pela empresa.

 

QuickOffice Pro / 27,39 reais gratuito

Em junho de 2012 o QuickOffice foi comprado pelo Google, que transformou a versão Pro, vendida por 27,39 reais na Google Play, em uma versão única e gratuita.

Tem tantos recursos quanto o seu irmão Google Docs. Ou seja, apenas os básicos.

Ele é o único desta lista que foi projetado para tablets com Android, ao contrário dos demais que nasceram para rodar em PCs ou smartphones.

Isso pode até não parecer importante, mas editar documentos do tipo Office em um aplicativo feito para rodar em um tablet faz uma boa diferença.

Além de ser compatível com o Google Docs e Quickoffice Pro HD, inclui suporte para serviços de armazenamento “na nuvem” como o Box, Dropbox, Huddle, SugarSync.

 

CONCLUSÃO

Se você deseja apenas ter um aplicativo para abrir e compartilhar documentos Word, Excel e Power Point, fique com as suites gratuitas.

O Google Docs pode ser uma boa opção para edições simples.

Já para quem precisa de mais recursos de formatação vai ter que abrir o bolso.

Além da compra de um bom editor, você poderia completar este “pacote” adquirindo um teclado wi-fi.

É sempre bom (re)lembrar que, ao importar/abrir um documento criado no Office em um desses aplicativos Android, talvez você perca alguma formatação original.

O melhor é criar os seus novos documentos diretamente nos aplicativos.

Ou produzí-los no Word, Excel ou Power Point e testar se a formatação original é mantida ao importá-lo no aplicativo Android.

J Paz Filho

J Paz Filho

Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce.///Especialização em design na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados.///Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.
J Paz Filho