seguranca-android

5 erros comuns que permitem a invasão do seu tablet ou smartphone

Muitos usuários de smartphones ou tablets com Android têm dúvidas em comum: o que eu devo fazer para proteger as minhas informações? 

É importante a instalação de um aplicativo “antivírus”? Não, se você for um usuário comum, daqueles que circulam por websites “normais” e baixa apps na loja do Google.

Na dúvida, instale um.

Então vamos lá, com a relação dos principais erros cometidos por (quase) todos os usuários:

Erro 1   

Android não pega vírus. Não preciso de um aplicativo de proteção.

Preciso ou não de um antivírus?

Antivírus talvez nem seja a denominação mais precisa. Sistema de segurança estaria mais de acordo com a realidade.

Já ficou para trás aquela imagem de um hacker (na verdade é cracker) instalando um vírus, e, sem que você percebesse, tinha todas as suas informações pessoais apagadas.

O que os parasitas da internet querem agora é ter acesso às informações financeiras e comerciais do usuário. Ou usar a posse das informações como forma de extorção (exigir uma grana para não divulgar uma informação pessoal ou sigilosa).

O próprio Android já oferece ferramentas básicas  Backup, código para cartão SD, alerta sobre aplicativos suspeitos.

Já os aplicativos de segurança para Android estão dentro de um pacote maior, que, normalmente, inclui um antivírus, um sistema anti-furto e de identificação de malwares.

E os mais completos vêm com ferramentas de backup, controle dos pais, encriptação, navegação segura, bloqueio de números de telefone desconhecidos…

Erro 2   

Backup dá trabalho, é demorado… Deixa assim…

Eu sei, dá uma preguiça danada só de pensar nestas rotinas, como fazer backups.

Vale a pena perder um tempinho por semana, configurando e controlando a gravação dos principais dados do seu tablet ou smartphone.

A maioria dos pacotes antivírus já incluem este recurso. Alguns realizam esta tarefa automaticamente.

Erro 3   

Uso o Wi-Fi dos outros e economizo uma grana!

Hackers (crackers) podem acessar facilmente os dados transferidos via conexão Wi-Fi.

Não use redes Wi-Fi públicas, sem proteção. Nem precisaria falar nas redes Wi-Fi públicas, sem proteção e… gratuitas. Especialmente aquelas que não exigem registro ou senha, tentando evitar sobrecarga de dados, ou simplesmente por relaxamento.

Pelo mesmo motivo, não entre na rede do seu vizinho, mesmo que ela esteja aberta. Não se engane, o esperto pode ser ele… 

Uma solução: usar uma rede privada virtual (VPN).

Erro 4   

Roubaram meu dispositivo. F******, eu tenho garantia

Não faz muito sentido criar uma senha por números, letras ou gestos, realizar esta tarefa milhares de vezes e, depois, deixar os seus dados expostos num roubo ou numa perda.

Por esta simples razão, é importante escolher um antivírus com um bom recurso anti-furto, que ofereça uma forma para você apagar – remotamente – tudo o que desejar.

Erro 5   

Não presto atenção na hora de baixar um aplicativo

Para a sua proteção, não baixe nada fora da loja do Google (Google Play).

A empresa pode não ser tão criteriosa quanto a Apple no quesito segurança mas está cada vez mais atenta quanto a possíveis brechas que possam comprometer os dados pessoais dos usuários do Android.

E, tão importante quanto isso: mantenha todos os seus aplicativos atualizados. Sem falar, é claro, na própria atualização do seu Android.

Se tiver alguma dúvida, você pode baixar um app como o Bitdefender Clueful Privacy Advisor, que informa ao usuário sobre o uso (e possível abuso) dos dados pessoais de cada aplicativo instalado.

linha

Uma informação bem interessante foi repassada pelo Pensieri (que trabalha como programador Java), nos comentários aqui do Blog. Olha o que ele diz:

Riscos de segurança aleatórios (hackers que invadem via rede aberta o dispositivo de outros) me preocupa menos que as invasões propositais.

Exemplo: numa rede aberta, as pessoas não ficam tempo o suficiente para se obter qualquer tipo de informação relevante a nível criminoso. Android prevê restrições pesadas de acesso por wifi aos arquivos pessoais na raiz do aparelho, e se for Android L pra cima, é dificílimo hackear conteúdo do cartão MSD.

Mas se eu pegar seu celular com opções de desenvolvedor ativas e depuração USB, plugo no meu note e clono o sistema inteiro com todos os seus arquivos pessoais em 30 minutos, inclusive dados do cartão MSD, mesmo com a tela bloqueada. E mesmo que esteja desligado e sem bateria, posso flashear sua ROM com todos os logins de apps seus, no mesmo tempo, e usando do mesmo método. Isto sim é perigoso. Quando envolve crime pessoal. Entende.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.