chromecast-segredos

5 segredos para tirar o máximo do seu Chromecast

Segundo o seu fabricante, o Google, o Chromecast já vendeu até hoje (31 de dezembro de 2015) mais de 20 milhões de unidades.

É um dos melhores dispositivos do mercado para a transmissão de áudio e vídeo, sem fio, entre um tablet/smartphone/PC/notebook e uma tv digital.

Só que alguns recursos são desconhecidos por boa parte dos seus usuários. Vamos desvendá-los então:

1 – Ligar a TV

Este é um dos segredos que os usuários menos conhecem. Você pode ligar a sua TV simplesmente ao rodar um vídeo no YouTube, no Netflix, ou acionar qualquer outro aplicativo que use o Chromecast.

O que é preciso: A energia do seu Chromecast deve estar ligada na tomada e não numa porta USB da TV. Outra condição é a TV oferecer algum recurso de conexão com outros dispositivos. Nas tvs Samsung é o AllShare/AnyNet e nos dispositivos móveis da mesma marca, o Screen Mirroring.

Problema: se você acionar esta conexão e quiser assistir um vídeo num smartphone ou tablet vai precisar desligar o Chromecast.

Solução: o Google está sempre atento às “falhas” do Chromecast. Não é improvável que traga uma solução para isso nas próximas atualizações.

2 – Usar o Plex como uma central multimídia

Usando softwares como o Plex é possível criar uma verdadeira central multimidia, enviando para o Chromecast, sem fios, praticamente tudo o que está no seu HD (filmes, vídeos, músicas, fotos).

O interessante é que o Plex funciona com quase todos os tipos de aparelhos: desktops e notebooks com Windows, Mac ou Linux e dispositivos móveis com Android e iOS.

O que é preciso: apenas baixar o programa ou aplicativo, criar uma conta e fazer uma pequena configuração.

Problema: para usuários de Android e iOS o aplicativo é pago.

O Plex também funciona com o Windows Phone, mas o Windows Phone não funciona com o Chromecast.

Mais informações sobre como fazer a ponte entre o Plex e o Chromecast, leia aqui.

Solução: existem programas e aplicativos que merecem um investimento. O Plex é um deles.  E para usuários de Windows, Mac e Linux (Ubuntu) é de graça.

3 – Assistir filmes no hotel/pousada ou na casa dos amigos

Para quem viaja muito (lazer ou trabalho), ou sai de férias, é complicado depender do pacote de canais dos hotéis ou pousadas.

Para assistir aos seus próprios filmes ou vídeos numa tela maior, na teoria, basta uma TV com uma porta HDMI e a conexão de internet.

Problema: dificilmente a gente encontra uma conexão decente num quarto de hotel brasileiro. E, como você já deve saber, estas conexões não exigem um padrão de segurança, digamos, minimamente aceitável.

Solução: seria usar um plano 4G matador e fazer o roteamento. Mas no Brasil…

Ou partir para uma solução mais radical, e bem mais consistente: comprar um roteador portátil (no mínimo no padrão 802.11n) – aí é preciso que o hotel ofereça uma entrada Ethernet (cabo RJ45).

Complicado? Também acho, mas se você investir num roteador portátil (custa uns 120 reais) só vai precisar fazer uma única configuração; todas as outras serão automáticas, só plugar e começar… E vai ter muito mais segurança também, já que a maioria dos roteadores portáteis incluem recursos de segurança, como um firewall.

O próprio Google, atento a este problema de conexão, já colocou no mercado o seu adaptador. Sai por 15 dólares, mas, se por enquanto, o só está a venda nos EUA.

Se for fazer uma conexão via wireless tenha, no mínimo, um aplicativo VPN (Rede Virtual Privada) instalado.

Isso tudo também vale outras conexões, como navegar na internet.

4 – Fazer apresentações profissionais – adeus projetores

Uma das coisas mais irritantes para quem vai fazer uma apresentação num lugar diferente é depender de projetores.

A diferença em relação aos hotéis é que nos ambientes profissionais, ou de ensino, quase sempre existe uma conexão com velocidade razoável e segura.

Problema: exige uma boa conexão de internet e o Chomecast não pode ficar longe demais do roteador.

Solução: assim como no exemplo do hotel, você também pode usar um roteador portátil e encaixá-lo numa porta ethernet.

Para gerar as apresentações você pode usar o aplicativo Google Apresentações, que possui um ícone para a conexão direta com o Chromecast.

5 – Jogar

Esta parece ser meio óbvia, mas, na prática, são poucos os games que merecem ser jogados com o Chromecast. Minha dica são os games de corrida de carros que exigem basicamente o controle de inclinação do smartphone ou tablet.

Real Racing 3, GT Racing 2. Bom também para Just Dance 2015. Existem mais de 100 jogos para Chromecast na loja do Google.

Problema: só funciona com o espelhamento de telas. Máquinas com processadores antigos ou pouca memória podem travar ou apresentar um pequeno delay. Só serve para Android, já que o app do Chromecast para iOS não faz o espelhamento.

Solução: use um dispositivo poderoso e com Android.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.