google_play

Adeus, Android Market: loja do Google agora é a Play

O Google decidiu fechar as suas lojinhas e abrir um grande magazine. As lojas Android Market (aplicativos), Google Music e Google eBookstore agora estão todas juntas no Google Play.

Qualquer semelhança com o iTunes da Apple evidentemente que NÂO é mera coincidência.

Por enquanto os brasileiros terão acesso apenas aos aplicativos. Usuários japoneses, aos apps e filmes. Canadenses e ingleses, apps, filmes e livros. Australianos, apps e livros.

Nesta primeira fase só os usuários dos EUA terão acesso a todos os serviços. Para os demais países ainda não existe uma previsão.

Tudo em um só lugar

O objetivo principal do Google é transformar o Google Play em um local para abrigar os seus 450 mil aplicativos, milhões de músicas e livros, e milhares de filmes.

Tudo na nuvem

Armazenar as informações “na nuvem” não serve apenas para liberar espaço no HD. A maior vantagem é poder acessar músicas, vídeos, filmes e livros de qualquer lugar, com qualquer dispositivo. O serviço deverá ser gratuito.

Tem um botão “Compartilhar”, é claro

O serviço mais óbvio de todos é o botão Share, ou compartilhar, presente em toda a web. Dá para fazer isso com músicas, filmes, livros e aplicativos através do Google +, e-mail ou mensagem de texto.

Central multimídia

Seguindo a tendência de outros serviços, o Google Play pretende ser um grande portal multimídia, no qual o usuário poderá armazenar músicas, vídeos e filmes e ouvir/assistir em um PC, celular, smartphone, tablet, netbook…

Também será possível acessar vídeos e músicas mesmo sem estar conectado na internet, desde que já tenha baixado o arquivo por inteiro, é claro.

O Google ainda promete um espaço gratuito para o usuário armazenar 20 mil músicas dos seus arquivos pessoais.

Uma livraria com milhões de títulos

O Google possui uma das maiores livrarias virtuais da web. Mas ela ficava escondida entre as dezenas de serviços oferecidos pela empresa.

São mais de 4 milhões de títulos à venda e mais de um milhão de títulos gratuitos.

Seria uma excelente estratégia comercial se o Google apoiasse os autores brasileiros, através de uma comissão de venda com valores atraentes.

A cereja do bolo: aplicativos e games

A venda de aplicativos (e games) tem crescido na mesma medida da venda de dispositivos móveis (tablets e smartphones). Assim, não é a toa que as empresas dediquem uma atenção especial a eles.

O Google diz que já tem 450 aplicativos, a grande maioria para smartphones.

O visual do Google Play não mudou muito, mas agora esta menos bagunçado; os apps estão bem divididos em categorias e existe até uma seção específica para tablets (finalmente!!).

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.