tablet_antivirus2

Deixe seu tablet longe dos vírus

Só na primeira semana de junho a Google informou que precisou remover 34 aplicativos que continham códigos maliciosos (vírus) na sua loja de apps do Android.

Se por um lado é elogiável que a Google mantenha uma política de abertura para que os desenvolvedores criem seus próprios aplicativos; por outro também deixa uma brecha para aqueles que apenas desejam obter vantagens, roubando dados para fins comerciais, ou simplesmente para manterem um status dentro das suas comunidades.

É preciso dizer que a empresa vem agindo com rigor contra estas práticas, mas mesmo assim não conseguiu impedir que 100 mil tablets e smartphones fossem contaminados.

Isso também comprova que a estratégia da Apple em manter regras bem mais rígidas na sua app Store não é tão ruim assim. Pelo menos para os usuários. Tirando, é claro, a política de censurar alguns aplicativos que não estejam de acordo com seus “princípios” ideológicos.

Fora isso, poder apresentar um aplicativo na loja da Apple, o desenvolvedor precisa de uma aprovação, um tempo em que a empresa faz testes e análises dos códigos. E só depois disto, o aplicativo pode ser (ou não) aprovado.

Onde estão os “furos”

No caso do Google existe um atalho muitas vezes perigoso. O desenvolvedor tem a liberdade de criar seu aplicativo e publicá-lo diretamente na loja do Android, sem precisar passar por uma avaliação prévia. Sem contar que o Android é um sistema baseado no Linux (que usa código aberto).

Mesmo os dispositivos da Apple podem não estrar completamente livres de contaminação. Usuários de iPads que se utilizam do JailBreak também podem ser vítimas de crackers. Como não possuem nenhum controle “oficial”, muitos aplicativos “quebrados” pelo JailBreak podem sim conter códigos maliciosos. Talvez seja raro, mas pode acontecer.

Segurança: uma (nova) ótima oportunidade

É claro que as empresas de antivírus, trojans, worms, etc, não iriam deixar passar esta oportunidade de mercado. Uma das primeiras a anunciar um antivírus específico para tablets que rodam Android foi a conhecidíssima AVG.

Seu AVG Antivírus Free é o mais baixado na loja Anroid nesta categoria e, segundo a empresa, “protege os aplicativos, configurações de dados e arquivos de mídia dos ataques de vírus e outros malwares”.

O AVG também conta com um recurso de backup, que protege os contatos, registros de chamadas, favoritos, mensagens e aplicativos, que podem ser gravados em um cartão SD. E se o tablet for perdido ou roubado pode ser localizado e bloqueado pelo programa.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.