suface_mini

Microsoft pode estar preparando um Surface mini

suface_mini

Por enquanto é apenas um rumor, mas a lógica do mercado indica que o lançamento de um tablet menor (entre 7 e 8 polegas), pela Microsoft, é apenas uma questão de tempo.

Os motivos são evidentes:

Primeiro — As vendas do Surface ficaram bem abaixo do que esperavam os dirigentes da empresa.

Somando-se as duas versões – RT e Pro – o Surface vendeu, segundo fontes extra oficiais, no último trimestre de 2011, apenas 1,4 milhão de unidades.

Pode parecer muito, mas isso representa menos da metade da previsão inicial de 3 milhões de aparelhos.

Só para se ter uma ideia, a Apple vendeu, neste mesmo período, 22,9 milhões de iPads. Em 2012, foram comercializados 128,3 milhões de tablets em todo o mundo e a Apple, sozinha, abocanhou 51 por cento do mercado.

Segundo — O segmento que apresenta a maior evolução nas vendas é justamente o dos chamados mini tablets, liderados pelos dispositivos da Samsung (Galaxy 7); Nexus 7 (do Google); Kindle Fire (Amazon) e, é claro, o mini da Apple.

Os tablets menores têm caído no gosto dos usuários, tanto pela sua praticidade em relação aos aparelhos de 10 polegadas, como pelo seus preços.

Pela evolução dos números, não é difícil se prever que o segmento dos tablets de 7-8 polegadas deverão superar a venda dos “tabletões” de 10 polegadas ainda em 2014.

Mais problemas

A Microsoft enfrenta outro grande dilema e que não está ligado ao seu dispositivo, mas ao seu sistema operacional, o Windows 8.

Não bastasse os problemas enfrentados por um sistema “novo”, com poucos aplicativos disponíveis e enfrentando uma concorrência feroz do Google Android, a arquitetura do Windows 8 não permite a utilização de tablets com telas de resolução menor do que 1366×768 pixels.

A solução seria reduzir estas exigências, alterando a programação do Windows 8 e permitindo o seu uso em telas com 1024×768 de resolução (a mesma do iPad mini).

Mas… Ao fazer isso a Microsoft esbarraria em um outro obstáculo: tablets com resolução menor do que 1366×768 não poderão usar o Snap, um dos melhores recursos do Windows 8 e que permite a colocação na tela de dois aplicativos simultâneos – lado a lado.

O próximo passo

Depois do lançamento do iPad a Microsoft nunca mais foi a mesma. A comercialização do Windows vem diminuindo na mesma proporção das vendas de PCs e Notebooks.

As vendas de PCs caíram no ano passado pela primeira vez em uma década, e os analistas preveem que esta tendência permaneça em 2013.

O mesmo vem acontecendo com a comercialização de notebooks, com uma queda que pode atingir até 18 por cento no primeiro trimestre.

A decisão da Microsoft em lançar dois modelos do Surface e duas versões do Windows só ajudou para confundir o consumidor, acostumado às facilidades do Android.

A empresa de Bill Gates só tem um caminho a seguir: lançar um tablet de 7-8 polegadas com o Windows Pro, que aceite qualquer programa Windows “normal”.

Mais do que isto, vai ter que apresentar um dispositivo barato, com uma tela tão boa quanto as dos aparelhos da Apple e do Google Nexus.

Outra solução bem razoável seria a Microsoft apenas lançar um Windows 8 para dispositivos com tela de resolução 1024×768 e entregá-lo para ser usado por outros fabricantes de tablets.

Se isso acontecer, não seria improvável que a empresa prepare a sua saída definitiva do mercado de tablets.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.

  • patti

    Eu sté gostaria de ter um tablet com windows para colocar meus arquivos excel.
    Mas não consigo entender esse monte de versões, e o tablet da microsoft tá muuuito caro.