maca-podre

O lado podre da Apple

Como jornalista, me incomoda quando alguém apresenta apenas um lado da história.

E isso novamente se repetiu depois da morte de Steve Jobs.

Todo mundo falando sobre a sua genialidade, como se nada existisse antes e depois dele.

Consulte sobre qualquer invenção e vai ver que ela quase nunca acontece pelas mãos (e cabeça) de uma pessoa apenas, mas pelo resultado do trabalho de muitos pesquisadores.

Assim, Steve Jobs e a Apple também têm o seu lado obscuro. Mais ainda: a Apple é uma empresa inovadora, mas não revolucionária.

Aliás, a Apple, antes do iPhone, era apenas uma empresa com um bom produto: o Macintosh, rival dos PCs.

A própria ideia dos dispositivos touchscreen foi desenvolvida fora da Apple. O criador do tablet foi o norte-americano Alan Kay, pesquisador da Xerox.

Personalidade egocêntrica

Jobs era um chefe autoritário e egocêntrico. Se algo não saísse como ele desejava, saía ofendendo seus funcionários com palavrões.

A sua obsessão por não revelar os segredos de novos produtos chegava a extremos. E isso incluia perseguição a funcionários e jornalistas.

Outra crítica (justa) feita sobre a atuação de Jobs como empresário era a de que ele não fazia doações, ao contrário do seu arquirrival Bill Gates. Isso apesar de já possuir um patrimônio de 7 bilhões de dólares.

Escravidão nas fábricas chinesas

O maior escândalo da história da Apple foi o uso de mão de obra infantil nas fábricas da Foxconn, sua parceira taiwanesa na China.

Fora isso, pesa sobre a Apple a contratação de uma empresa terceirizada que oferece baixíssimos salários e péssimas condições de trabalho.

Em 2011, duas explosões em fábricas da Foxconn mataram quatro pessoas e deixaram outras 77 feridas. Mais outras 16 cometeram suicídio.

Censura na Apple Store

Se você pensa em desenvolver um aplicativo para a Apple, saiba que ele pode ser rejeitado, sem qualquer explicação.

Tudo o que não estiver de acordo com o julgamento moral, político e econômico imposto pelas regras internas da empresa é simplesmente eliminado.

O próprio Steve Jobs já havia declarado: quero ver o iPad “livre de sacanagens”. (Será que nessa época ele já tinha conhecimento das “sacanagens” nas fábricas chinesas da Foxconn?).

Só que a Apple já chegou ao cúmulo de vetar os mamilos da Madonna em uma versão para iPad da revista de moda britânica Dazed & Confused.

Sem contar a negativa aos aplicativos como o Google Latitude e o Google Voice e livros sobre o Android, o sistema operacional que compete com o seu iOS.

Nós e mais ninguém

O que mais assusta os consumidores e as empresas é a forma com que a Apple muitas vezes tenta ditar as regras do mercado de dispositivos móveis.

Logo ela que no seu início ironizava o poder das “gigantes” Microsoft, IBM, Xerox.

Alguém poderá dizer: mas a Apple é uma empresa privada e não deve satisfação a ninguém. Não é bem assim. Outra grande empresa, a Microsoft, já enfrentrou (e perdeu) ações na qual pretendia dominar o mercado dos navegadores, com o Internet Explorer.

O lado do bem

Como falei no início, toda a informação pode ter mais do que uma verdade. E, obviamente, a Apple tem o seu lado positivo.

Ela tem destaque sim na história da evolução da tecnologia. Mais do que isto, mostrou às outras empresas sobre a importância do marketing e do design.

Seria bom que os concorrentes imitassem o que ela tem de melhor. E aprimorassem seus produtos e serviços, disponibilizando recursos não oferecidos pela Apple.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.

  • Antônio

    Durante todo o tempo que Jobs estava vivo se falou na imprensa e em documentários especializados como era o comportamento e a personalidade do Jobs, mas se falava pouco dele porque o “bambambam” na época era o Gates. Mais, falavam mas não houve repercussão popular porque não aconteceu em revistas de celebridades ou de fofocas onde aparecem os podres e todo mundo fica sabendo. Pouca gente se interessa pelo lado pessoal de gente de TI, nem eles se metem em vida social.

    Mas quem tinha interesse em saber como funcionavam as empresas do ramo, quem eram as pessoas que mandavam nelas, ficou sabendo que Jobs era estúpido e autoritário com os funcionários, o “senhor todo poderoso” que tomava todos os holofotes para si, se sabia que tinha apelado para as drogas, se sabia dos problemas pessoais que causou e enfrentou. Inclusive o livro sobre ele retrata os podres a pedido do próprio Jobs, para exatamente não o fazerem de santo depois de ele morrer. Ou seja, o Jobs até nisso “inovou”, quando é o padrão as pessoas esconderem os seus podres “debaixo do tapete”.

    Vi um excelente documentário norte-americano há anos mostrando, em vários episódios, como surgiu e se desenvolveu o Vale do Silício e quem eram os principais personagens envolvidos. De forma isenta falaram das personalidades, da busca por poder deles, dos problemas, das briguinhas, no meio de material histórico sobre as inovações e a influência nos negócios. Falaram (mal) também do Gates, óbvio, com sua ânsia monopolista para tentar tomar conta do pedaço. Mas quem via essas coisas era mais o pessoal da área.

    Sobre a escravidão nas fábricas chinesas, a Apple realmente tem culpa? A Apple pode ter algum poder de influência se lá quem manda é o Estado e as severas leis ditatoriais, antes de ser um negócio empresa x empresa? Se a Apple se metesse, os comunas diiram que é a força maligna capitalista tentando se meter onde não é chamado. Inclusive notícia recente diz que a Apple tentou mudar alguma coisa mas não conseguiu. Ou seja, a Apple é culpada pelos comunas de lá (e de qualquer lugar do mundo) serem escravocratas?

    Logo, acho que o seu artigo não espelha toda a verdade nem percebe detalhes com consciência expandida.

    Se sabia sim a personalidade e o “lado negro da força” que foi o Jobs e as coisas da Apple, quem era da área sabia, mas não era divulgado de forma popular nem a sociedade tinha tanto interesse assim. E mesmo agora depois da morte dele, não foi tudo isso consagração de santo ou gênio, exatamente porque a maior parte da imprensa foi honesta, elogiou o gênio inovador e o interesse dele fazer algo bem feito mas em contrapartida também mostrou os podres, até porque escudado pela própria biografia. A maior parte da imprensa foi de bom senso.

    • Paz

      Valeu, Antônio, ótimo texto. Desculpa a demora na “aprovação”, seu comentário ficou congelado nos spams (problema com seu email).
      Um abç.

  • Antônio

    Durante todo o tempo que Jobs estava vivo se falou na imprensa e em documentários especializados como era o comportamento e a personalidade do Jobs, mas se falava pouco dele porque o “bambambam” na época era o Gates. Mais, falavam mas não houve repercussão popular porque não aconteceu em revistas de celebridades ou de fofocas onde aparecem os podres e todo mundo fica sabendo. Pouca gente se interessa pelo lado pessoal de gente de TI, nem eles se metem em vida social.

    Mas quem tinha interesse em saber como funcionavam as empresas do ramo, quem eram as pessoas que mandavam nelas, ficou sabendo que Jobs era estúpido e autoritário com os funcionários, o “senhor todo poderoso” que tomava todos os holofotes para si, se sabia que tinha apelado para as drogas, se sabia dos problemas pessoais que causou e enfrentou. Inclusive o livro sobre ele retrata os podres a pedido do próprio Jobs, para exatamente não o fazerem de santo depois de ele morrer. Ou seja, o Jobs até nisso “inovou”, quando é o padrão as pessoas esconderem os seus podres “debaixo do tapete”.

    Vi um excelente documentário norte-americano há anos mostrando, em vários episódios, como surgiu e se desenvolveu o Vale do Silício e quem eram os principais personagens envolvidos. De forma isenta falaram das personalidades, da busca por poder deles, dos problemas, das briguinhas, no meio de material histórico sobre as inovações e a influência nos negócios. Falaram (mal) também do Gates, óbvio, com sua ânsia monopolista para tentar tomar conta do pedaço. Mas quem via essas coisas era mais o pessoal da área.

    Sobre a escravidão nas fábricas chinesas, a Apple realmente tem culpa? A Apple pode ter algum poder de influência se lá quem manda é o Estado e as severas leis ditatoriais, antes de ser um negócio empresa x empresa? Se a Apple se metesse, os comunas diiram que é a força maligna capitalista tentando se meter onde não é chamado. Inclusive notícia recente diz que a Apple tentou mudar alguma coisa mas não conseguiu. Ou seja, a Apple é culpada pelos comunas de lá (e de qualquer lugar do mundo) serem escravocratas?

    Logo, acho que o seu artigo não espelha toda a verdade nem percebe detalhes com consciência expandida.

    Se sabia sim a personalidade e o “lado negro da força” que foi o Jobs e as coisas da Apple, quem era da área sabia, mas não era divulgado de forma popular nem a sociedade tinha tanto interesse assim. E mesmo agora depois da morte dele, não foi tudo isso consagração de santo ou gênio, exatamente porque a maior parte da imprensa foi honesta, elogiou o gênio inovador e o interesse dele fazer algo bem feito mas em contrapartida também mostrou os podres, até porque escudado pela própria biografia. A maior parte da imprensa foi de bom senso.

    • Paz

      Valeu, Antônio, ótimo texto. Desculpa a demora na “aprovação”, seu comentário ficou congelado nos spams (problema com seu email).
      Um abç.

  • André

    E se o colega Lucas acha que android não tem sujeira ele não conhece a Google, nem a Motorola, nem a Samsungo, nem a LG… Vai procurar pra ver..

    O colega Diogo deveria pensar que não é nenhuma richa da Apple com os brasileiros. Aliás, não é a única empresa que não tem o ABNT. Só que no caso da Apple, ela não aceita nenhuma outro padrão. Ela cria os padrões dela, você que quer ter um Mac que se adeque.

    Ou existe teclado em cirílico pros russos? Em grego pros gregos? NÃO! A Apple segue o padrão dela, que é um só no mundo todo.

    • André

      André, creio que deveria olhar direito isto do teclado. Eu uso mac desde 2005, por isso digo e volto a repetir, gosto muito da apple e dos produtos, mas ficar só no elogio e na adequação, sendo que eu posso criticar e pedir para melhorar porque não?

      Na apple store BR tem vários comentários de quem comprou pedindo o que pontifiquei, e sobre seu comentário dos cirilico pros russos tem link abaixo pra compra do mesmo na apple store portugal.
      Ja usei outro teclado no meu mini, e depois optei por comprar e usar da apple (integração e autonomia das baterias, etc), e gosto muito dele, mas se posso fazer tal observação porque não?

      http://store.apple.com/pt/product/MC184RS/B
      http://support.apple.com/kb/HT2841?viewlocale=pt_BR&locale=pt_BR

  • André

    E se o colega Lucas acha que android não tem sujeira ele não conhece a Google, nem a Motorola, nem a Samsungo, nem a LG… Vai procurar pra ver..

    O colega Diogo deveria pensar que não é nenhuma richa da Apple com os brasileiros. Aliás, não é a única empresa que não tem o ABNT. Só que no caso da Apple, ela não aceita nenhuma outro padrão. Ela cria os padrões dela, você que quer ter um Mac que se adeque.

    Ou existe teclado em cirílico pros russos? Em grego pros gregos? NÃO! A Apple segue o padrão dela, que é um só no mundo todo.

    • André

      André, creio que deveria olhar direito isto do teclado. Eu uso mac desde 2005, por isso digo e volto a repetir, gosto muito da apple e dos produtos, mas ficar só no elogio e na adequação, sendo que eu posso criticar e pedir para melhorar porque não?

      Na apple store BR tem vários comentários de quem comprou pedindo o que pontifiquei, e sobre seu comentário dos cirilico pros russos tem link abaixo pra compra do mesmo na apple store portugal.
      Ja usei outro teclado no meu mini, e depois optei por comprar e usar da apple (integração e autonomia das baterias, etc), e gosto muito dele, mas se posso fazer tal observação porque não?

      http://store.apple.com/pt/product/MC184RS/B
      http://support.apple.com/kb/HT2841?viewlocale=pt_BR&locale=pt_BR

  • André

    Bem… não vi tanta podridão assim não…
    Que o Jobs tinha seus defeitos é óbvio. Não sei o que é pior, os fãs que acreditam que o cara era perfeito ou os não fãs que “cobram” que o cara fosse. Mas a história dele tem algumas coisas estranhas mesmo (lembro dele nas capas de revistas com alguns escândalos, muito antes de iPod ou iQQ coisa existir).

    Agora essa histórinha de escravidão na Foxcomm é balela, façam favor… não estou dizendo que é mentira, mas criticar a Apple por isso é rídiculo. Porque não criticar a Sony, a HP, a Dell e várias outras marcas que a Foxconn fabrica. Eu não tenho nada da Apple, aliás, troquei meu iPhone num Galaxy, mas se eu for pesquisar vou descobrir que a Samsung também é fabricada pela Foxcomm ou alguma taiwanesa semelhante. Tem que criticar a Foxcomm, aquilo sim é uma empresa suja. Se for criticar quem vende os projetos pra ela, critica todo mundo!

    Aliás, a Nike, a Adidas, a Puma, a Zara… todo mundo sabe que elas fabricam na China, Taiwan, Vietinã e etc porque a mão-de-obra é mais barata e todo mundo sabe que é porque os trabalhadores ganham 1 dólar por dia de trabalho!
    E a censura da Apple tem todo sentido, aliás, foi assim que eles mantiveram a AppStore no topo durante um bom tempo. No começo do Android o Market tinha aplicativos fracos, sem nenhuma segurança e que travavam direto. Hoje nós temos mais opções, mas no começo era uma zona.

    Desculpa, mas achei sua crítica fraca. A idéia de tablets nasceu praticamente com o PC, o primeiro pode ter sido criado na Xerox, mas a ideia é bem anterior. O touchscreen nem se fala: já haviam terminais touch desde antes de você pensar em existir, a Apple só aprimorou. E a personalidade do Jobs tá pra ser discutida em livro de auto-ajuda, uma crítica séria nem cita isso!

    • Paz

      André. vc tem toda a razão, não é só a Apple que tem parceria com a Foxconn. Mas isso não elimina a responsabilidade dela. Pelo contrário, como ela é maior de todas é a mais cobrada também. Eu tenho quase certeza de que muitos dos seus acionistas, e a maioria dos seus usuários, não estão nada satisfeitos com essa situação.

      Quanto à loja de aplicativos, a crítica que se faz é a de que a Apple tentou censurar conteúdo editorial. E a maior tradição democrática dos EUA é a liberdade de expressão.

  • André

    Bem… não vi tanta podridão assim não…
    Que o Jobs tinha seus defeitos é óbvio. Não sei o que é pior, os fãs que acreditam que o cara era perfeito ou os não fãs que “cobram” que o cara fosse. Mas a história dele tem algumas coisas estranhas mesmo (lembro dele nas capas de revistas com alguns escândalos, muito antes de iPod ou iQQ coisa existir).

    Agora essa histórinha de escravidão na Foxcomm é balela, façam favor… não estou dizendo que é mentira, mas criticar a Apple por isso é rídiculo. Porque não criticar a Sony, a HP, a Dell e várias outras marcas que a Foxconn fabrica. Eu não tenho nada da Apple, aliás, troquei meu iPhone num Galaxy, mas se eu for pesquisar vou descobrir que a Samsung também é fabricada pela Foxcomm ou alguma taiwanesa semelhante. Tem que criticar a Foxcomm, aquilo sim é uma empresa suja. Se for criticar quem vende os projetos pra ela, critica todo mundo!

    Aliás, a Nike, a Adidas, a Puma, a Zara… todo mundo sabe que elas fabricam na China, Taiwan, Vietinã e etc porque a mão-de-obra é mais barata e todo mundo sabe que é porque os trabalhadores ganham 1 dólar por dia de trabalho!
    E a censura da Apple tem todo sentido, aliás, foi assim que eles mantiveram a AppStore no topo durante um bom tempo. No começo do Android o Market tinha aplicativos fracos, sem nenhuma segurança e que travavam direto. Hoje nós temos mais opções, mas no começo era uma zona.

    Desculpa, mas achei sua crítica fraca. A idéia de tablets nasceu praticamente com o PC, o primeiro pode ter sido criado na Xerox, mas a ideia é bem anterior. O touchscreen nem se fala: já haviam terminais touch desde antes de você pensar em existir, a Apple só aprimorou. E a personalidade do Jobs tá pra ser discutida em livro de auto-ajuda, uma crítica séria nem cita isso!

    • Paz

      André. vc tem toda a razão, não é só a Apple que tem parceria com a Foxconn. Mas isso não elimina a responsabilidade dela. Pelo contrário, como ela é maior de todas é a mais cobrada também. Eu tenho quase certeza de que muitos dos seus acionistas, e a maioria dos seus usuários, não estão nada satisfeitos com essa situação.

      Quanto à loja de aplicativos, a crítica que se faz é a de que a Apple tentou censurar conteúdo editorial. E a maior tradição democrática dos EUA é a liberdade de expressão.

  • Diogo

    Eu tenho vários produtos Apple(mac, ipod etc.), gosto dela, mas nunca tive fan boylice pela Apple, tanto que meu cel. eh um Blackberry(por sempre gostar de BB antes mesmo de existir iphone.

    E tablet com com Android(andar de bus, metrô, num país como o nosso, com ipad de 1500 não dá), se o mundo fosse como o Jobs queria com seu campo de distorção, estaríamos numa total ditadura de hardwere e softwere da apple.

    O caso dos fanboys se dá mais pela exclusividade, como eram caros(ainda são). Era tipo uma grife/marca tipo eu tenho e vc não, e ainda engoliam as campanhas publicitárias da apple, o nosso eh melhor nós somos melhores, enfim eh muita baboseira.

    Ps.: a apple gosta tantos do consumidores brasileiros que digitei no mac no teclado apple que ate hj n existe padrão brasileiro. Fan boy vai dizer que existe atalhos cmd + e cmd+n etc e isso eu sei usar, mas acho desrespeito ainda fazerem um teclado que aprovado pela anatel sem estar de acordo com nosso padrão e idioma.

  • Diogo

    Eu tenho vários produtos Apple(mac, ipod etc.), gosto dela, mas nunca tive fan boylice pela Apple, tanto que meu cel. eh um Blackberry(por sempre gostar de BB antes mesmo de existir iphone.

    E tablet com com Android(andar de bus, metrô, num país como o nosso, com ipad de 1500 não dá), se o mundo fosse como o Jobs queria com seu campo de distorção, estaríamos numa total ditadura de hardwere e softwere da apple.

    O caso dos fanboys se dá mais pela exclusividade, como eram caros(ainda são). Era tipo uma grife/marca tipo eu tenho e vc não, e ainda engoliam as campanhas publicitárias da apple, o nosso eh melhor nós somos melhores, enfim eh muita baboseira.

    Ps.: a apple gosta tantos do consumidores brasileiros que digitei no mac no teclado apple que ate hj n existe padrão brasileiro. Fan boy vai dizer que existe atalhos cmd + e cmd+n etc e isso eu sei usar, mas acho desrespeito ainda fazerem um teclado que aprovado pela anatel sem estar de acordo com nosso padrão e idioma.

  • LucasPR

    É por isso que eu sou a favor do Android. E contra os applemaníacos!!

  • LucasPR

    É por isso que eu sou a favor do Android. E contra os applemaníacos!!