aplicativos_brasileiros

Onde estão os aplicativos brasileiros?

Os aplicativos para os dispositivos móveis (smartphones e tablets) já chegam às centenas de milhares. Só para o iPad são quase 110 mil. Para o Android Honeycomb ainda magros 300 aplicativos.

Mas aonde estão afinal os apps brasileiros? Fiz uma pesquisa pelo Google e encontrei o que procurava. Ou seja, quase nada.

Aplicativos brasileiros para o iPad mais baixados não merecem comentários

E você sabe qual é o aplicativo gratuito brasileiro para iPad mais baixado na loja da Apple? Está sentado? É o Imbecil Teste. Se fizer o download vai ficar com um ícone na sua tela com o sugestivo nome de “Estúpido”.

E o aplicativo brasileiro pago mais baixado? Você conhece? ELE NÃO FUNCIONA. É o World TV Pro HD, que oferece 200 canais de tv na tela do iPad. Veja a matéria no MacWorld Brasil.

World TV Pro HD: segundo a MacWorld Brasil não passa da primeira tela

No mais, entre os quase 110 mil aplicativos criados por desenvolvedores de todo o mundo, poucos são “brazucas”. Talvez não cheguem a 1%. E eu estou sendo beeem otimista nesta conta.

Na maioria são de bancos, para finanças, de empresas e jogos.

Dá para você acompanhar os blocos de rua do carnaval carioca; ouvir toda a discografia da banda “Biquine Cavadão”; e provar as “40 receitas de caipirinha“.

O governo até que comparece, através do Correio (rastreamento de envios); Petrobrás (localizador de postos); Café do Brasil (cotação) e mais alguns outros.

Governo não incentiva. Falta de informação ou de planejamento?

Os desenvolvedores reclamam da falta de incentivo, especialmente da incidência de impostos. Não podemos esquecer que o lançamento de um aplicativo, para ser rentável, deve ser mundial. E isso envolve um certo investimento.

Mas pesquisando na internet (no BlogdoiPhone) vi que os custos para criar um aplicativo não seriam tão altos como imaginei.

Assim, o mais provável seja mesmo uma falta de política do governo na área de tecnologia, indicando um caminho e apoiando os desenvolvedores, principalmente na área de marketing e gestão.

Porque o SEBRAE não faz isso?

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.