tablets_crianca

Tablet: seu filho precisa mesmo ter um?

Eles aparecem quase todos os dias na mídia e são considerados os dispositivos tecnológicos mais modernos.

Por isso, muitos pais ainda ficam confusos quando seus filhos imploram por um tablet, quase sempre um iPad. É hora de ceder, ou não?

Algumas pesquisas realizadas nos EUA revelam um número impressionante: mais da metade das crianças daquele país já tem acesso a um dispositivo com tela sensível ao toque.

Tecnologia é poder

Todos queremos ser reconhecidos pelas nossas habilidades em manusear um iPad, ou indicar para um amigo os melhores aplicativos para o Android.

Mas apesar do bombardeio da propaganda, a tecnologia embutida nos computadores, tablets, smartphones está apenas no seu início.

Para mim, tão errado quanto ignorar os benefícios dos novos dispositivos tecnológicos é achar que a tecnologia, em si, é uma coisa boa.

Parece óbvio estar dizendo isso, mas a tecnologia não serve para nada se não vier acompanhada do conteúdo. É o erro que o Ministério da Ciência e Tecnologia está cometendo ao incentivar a montagem de tablets no Brasil. Onde estão os aplicativos brasileiros de educação para rodarem nestes tablets?

Tablets com telas maiores são os ideais

Pense primeiro no conteúdo

Assim, se você me perguntar se deve comprar um tablet para o seu filho eu responderia pela minha experiência: comece pelo “fim”. Pesquise sobre os programas (aplicativos) disponíveis e, antes de passar o cartão, combine com o seu filho sobre o conteúdo que ele irá acessar.

É claro que esta parceria será muito mais fácil tanto menor a idade do “pimpolho”. E em “idade” estamos falando 3, 4 anos.

E, acredite, existem ótimos programas (e sites) educativos que podem fazer alguns “milagres”.

Se você imagina que o seu filho poderá ter um salto na aprendizagem, isso é mesmo a mais pura realidade.

Por isso eu não consigo entender o por quê de a maioria das escolas não usarem a tecnologia à favor do ensino .

Coelho sabido x Fuxico

Há uns 5 anos um dos melhores programas educativos para Pcs era o “Coelho Sabido”. E os pais que viram seus filhos aprendendo com ele sabem do que eu estou falando.

Não adianta achar que uma criança vá aprender alguma coisa navegando por sites do tipo “Fuxico” ou coisa parecida.

Por isso é importante manter o controle sim. Estabelecer regras de uso de Pcs ou tablets é um bom começo.

Não, não estou dizendo que é ruim a criança ver vídeos engraçados no YouTube, ou que participar de uma comunidade de colegas no Facebook.

Bem, o melhor é que tudo isso fizesse parte da educação tradicional dos colégios. Mas não faz.

Então, você pode sim incentivar o seu filho a usar programas/aplicativos educativos.

E quanto mais cedo melhor.

Tv, a primeira “babá eletrônica”

Primeiro a TV, depois o PC, e agora o tablet

A partir da década de 1960 os estudiosos começaram a pesquisar os efeitos da TV na vida das crianças.

Imaginava-se que a TV tinha uma influência negativa na educação. Mas depois chegou-se a conclusão óbvia de que o que deveria ser analisado era o conteúdo.

E que a maior influência na educação na verdade vinha da família e dos amigos.

Com os Pcs, notebooks, tablets isso não muda. Ficar horas e horas na frente do “computador” pode ser bom ou ruim, depende apenas da situação em que isso acontece e do conteúdo acessado.

Qual o melhor tablet para uma criança

Se para um adulto a tela é o principal item a ser considerado num tablet, para uma criança isso é ainda mais importante.

Além de um tamanho razoável (eu acho que deveria ser acima de 7 polegadas), a tela precisa ter uma boa resolução e, acima de tudo, uma boa qualidade.

Bem, falar de “boa qualidade” neste caso é um pouco subjetivo, eu sei. O ideal é manusear o tablet em alguma loja, testando a velocidade de reação ao toque na tela.

O preço é um bom parâmetro. Tablets top de linha são mais caros mas normalmente este valor acompanha a qualidade de suas telas.

OLPC: projeto democratiza o uso da tecnologia

XO-3, o tablet de 100 dólares

Enquanto o Brasil, através do Ministério da Ciência e Tecnologia, oferece incentivos para a montagem de dispositivos, em outros países há um investimento pesado na produção de laptops e tablets de baixo preço, que depois são distribuídos às escolas (especialmente às de primeiro grau).

O projeto mais bem sucedido é sem dúvida o OLPC (One Laptop per Child) que, como diz o nome, começou pela produção de laptops baratos e agora está chegando nos tablets.

Leia artigo completo sobre o OLPC e o XO-3

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.

  • J@qui

    Tenho 28 anos, meu marido tem 32. Aqui em casa temos 1 PC, 1 note e agora compramos um tablet para o nosso filho de 6 anos.
    Tudo o que ele faz a gente controla e o que mais ele usa é sites com conteúdo educativo.
    Valeu pelo blog. Um abç.

  • J@qui

    Tenho 28 anos, meu marido tem 32. Aqui em casa temos 1 PC, 1 note e agora compramos um tablet para o nosso filho de 6 anos.
    Tudo o que ele faz a gente controla e o que mais ele usa é sites com conteúdo educativo.
    Valeu pelo blog. Um abç.

  • Luni Brown

    Adorei este post. Concordo, o conteúdo sempre vem na frente, mas parece que no Brasil o mais importante é o ministro aparecer no jornal da tv, anunciando um milagre qualquer na educação. Do tipo “o Brasil vai fabricar o iPad”. Fala sério!!!!!!

  • Luni Brown

    Adorei este post. Concordo, o conteúdo sempre vem na frente, mas parece que no Brasil o mais importante é o ministro aparecer no jornal da tv, anunciando um milagre qualquer na educação. Do tipo “o Brasil vai fabricar o iPad”. Fala sério!!!!!!