Usuários de tablets agem como vacas, afirma dirigente da Intel

Mooly Eden também tentou enganar a imprensa, ao fingir que estava pilotando um Fórmula 1. Só que o “ao vivo” era uma gravação.

“As pessoas gostam de criar, pois é assim que elas se expressam. Consumo é bom para vacas”, afirmou Mooly Eden, diretor da Intel, na CES 2012, uma feira internacional de tecnologia que se realiza em janeiro, em Las Vegas.

A afirmação, além de ofensiva, soa um pouco estranha, já que as “vacas” são os consumidores que decidiram comprar tablets e, possivelmente, usuários de produtos que usam processadores Intel.

Liderança ameaçada

A Intel sempre foi a líder do bilionário mercado de processadores. Mas isso foi no tempo dos PCs. E mesmo neste segmento ela tem um forte concorrente, a AMD.

Depois da chegada arrasadora dos tablets e smartphones a empresa norte-americana viu a sua posição ameaçada.

Quem saiu ganhando foi a coreana Samsung, fornecedora de processadores para a Apple e dezenas de outros fabricantes.

Também ocupam espaço neste segmento a Qualcomm, a Texas e a Freescale (Amazon Kindle), todas usando a tecnologia ARM.

Assim, não é surpresa que a Intel (leia-se, seus investidores) esteja preocupada. O que é estranho é a reação da empresa.

Outra saia justa, o game gravado

Bem, esta escorregada da Intel não tinha sido tudo. O pior (tem pior?) ainda estava por vir. E adivinhe quem estava lá? Ele mesmo, Mooly Eden.

Durante uma demonstração do novo processador da Intel, o Ivy Bridge,  Eden usou um ultrabook para rodar um game.

Ele fingia estar pilotando um Fórmula 1, mas na verdade aparecia na tela apenas uma gravação de um vídeo previamente produzido.

Medfield, a aposta da Intel

A verdade é que a Intel demorou para entrar no mercado dos dispositivos móveis. O seu processador Atom nunca chegou a entusiasmar; o consumo de energia é muito alto.

A aposta agora é com o novo processador Medfield, este sim desenhado para rodar em tablets e smartphones.

Um dos primeiros fabricantes a incluir o Medfield em um dos seus produtos foi a chinesa Lenovo, no seu tablet IdeaPad K2110.

Retomando a parceria com a Microsoft

A melhor saída para a Intel, hoje, seria retomar a sua parceria lucrativa com a Microsoft, agora com o Windows 8. Isso é totalmente possível – pela força das duas empresas.

Mas agora o jogo é outro. Para dar certo seria preciso investir em aplicativos. E nisso a Apple e o Google, com o Android, já estão bem na frente.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.