windows8

Veja como será o novo Windows para tablets

Finalmente a Microsoft se rendeu ao iOS da Apple. Sai aquela interface rígida das janelas, e entra uma navegação fluida, mais adequada aos dispositivos touchscreen.

Pelo vídeo de apresentação distribuído pela Microsoft o novo sistema operacional me pareceu muito bom. Encontrar os programas favoritos, navegar pela internet, acessar as redes sociais, como o twitter e o facebook, agora fica bem mais fácil.

A tela principal, denominada “start screen”, traz vários quadros que substituem as tradicionais e manjadas janelas, que acompanham o sistema Windows desde o século passado. Estes quadros substituem o menu iniciar e os ícones do desktop.

Muitas outras novidades também estão embutidas nesta nova versão do Windows. Entre elas o novo Explorer 10, otimizado para o toque, e o uso da linguagem HTML5, que amplia em muito os recursos de navegação na web.

Para os amantes do pacotão Office uma boa notícia: o novo Windows rodará, sem problemas, o Word, Excel, PowerPoint, etc.

Tudo junto misturado

Se eu pudesse definir com apenas uma palavra a estratégia da Microsoft para o Windows 8 ela seria compatibilidade.

Um exemplo foi a apresentação do novo SO, feita em uma tela touchscreen. Mas o sistema da Microsoft foi desenvolvido para rodar em qualquer dispositivo, como PCs, smartphones e tablets, é claro.

Segundo a empresa, o Windows 8 também é compatível tanto com os processadores tradicionais x86, da Intel e AMD, como os processadores ARM, presentes nos smartphones e tablets. Periféricos, como impressoras, mouses, etc, também entrariam neste pacote de compatibilidades.

Regime forçado

A Microsoft não deu mais detalhes, mas pelo que pode ser visto neste vídeo de apresentação o Windows 8 será muito mais “leve” do que seu antecessor, Windows 7. Provavelmente a estratégia será a mesma já usada em outros lançamentos: várias versões do Windows, de acordo com o dispositivo no qual rodará.

Prova disso foi a informação dada pela Microsoft: quem já possui o Windows 7 não precisará trocar de máquina para rodar o Windows 8.

A data de lançamento ainda não foi definida pela Microsoft, mas especula-se que o novo Windows deva chegar ao mercado somente em 2012.

Bem, resta agora apenas esperar pelo lançamento oficial do novo Windows. É preciso comprovar que um único sistema operacional seja capaz de rodar em tantos dispositivos e processadores diferentes. Mas se for realmente capaz disso tudo será um grande acerto da tão criticada Microsoft.

///

Paz

J Paz Filho - Sou jornalista, trabalho na produção de conteúdo editorial e na criação, desenvolvimento e manutenção de websites - incluindo e-commerce. Tenho especialização em design gráfico na Unisinos e já fui editor de mais de uma dezena de jornais e revistas especializados. Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato; ou por email.

  • Sérgio

    Concordo com o Edvaldo quanto ao “peso” do WinMo: não chega a incomodar, no meu caso, mas você sente que poderia ser um pouco mais rápido.

    Mas também depende muito do uso que se faz o aparelho. Ao aposentar meu Compaq iPaq (pois é, esse “i” surgiu antes do iPod, iPhone e iPad) troquei por um Omnia justamente pelo fato de rodar WinMo. Tanto pela integração com o Office/Outlook/MS Money, (essencial para mim, e seu tinha certeza que funcionava), quanto ao fato de reaproveitar meus aplicativos já adquiridos. Então, em um uso mais “racional” digamos assim, há até vantagens em se optar por MS em dispositivos móveis.

    Se eu tentar rodar algum jogo, talvez tenha algum problema. Mas fora isso, iGo8 (mesmo dos GPS automotivo), MSN, Skype, Office… tudo roda redondo.

    Torço pra que dê bons resultados a parceria MS + Nokia.

    Abraço.

  • Sérgio

    Concordo com o Edvaldo quanto ao “peso” do WinMo: não chega a incomodar, no meu caso, mas você sente que poderia ser um pouco mais rápido.

    Mas também depende muito do uso que se faz o aparelho. Ao aposentar meu Compaq iPaq (pois é, esse “i” surgiu antes do iPod, iPhone e iPad) troquei por um Omnia justamente pelo fato de rodar WinMo. Tanto pela integração com o Office/Outlook/MS Money, (essencial para mim, e seu tinha certeza que funcionava), quanto ao fato de reaproveitar meus aplicativos já adquiridos. Então, em um uso mais “racional” digamos assim, há até vantagens em se optar por MS em dispositivos móveis.

    Se eu tentar rodar algum jogo, talvez tenha algum problema. Mas fora isso, iGo8 (mesmo dos GPS automotivo), MSN, Skype, Office… tudo roda redondo.

    Torço pra que dê bons resultados a parceria MS + Nokia.

    Abraço.

  • Roberto

    Alguém saberia dizer se esse windows 8 irá rodar os programas que rodam no windows 7&

    • Paz

      Roberto:
      A Microsoft vai querer que seu pacote Office rode no Windows 8, em um tablet, com a máxima compatibilidade possível.
      Mas, veja bem: aplicativos para tablets são diferentes de programas para PCs. Assim, o Word, por exemplo, deverá ser mais simples, sem tantos “recursos”.
      Se você está em dúvida se poderá “baixar” seus programas do Windows 7 em um tablet com Windows 8, com certeza não.

  • Roberto

    Alguém saberia dizer se esse windows 8 irá rodar os programas que rodam no windows 7&

    • Paz

      Roberto:
      A Microsoft vai querer que seu pacote Office rode no Windows 8, em um tablet, com a máxima compatibilidade possível.
      Mas, veja bem: aplicativos para tablets são diferentes de programas para PCs. Assim, o Word, por exemplo, deverá ser mais simples, sem tantos “recursos”.
      Se você está em dúvida se poderá “baixar” seus programas do Windows 7 em um tablet com Windows 8, com certeza não.

  • Edvaldo

    Se a performance deste Windows 8 for semelhante à do Windows Mobile, a Microsoft pode ir tirando o time de campo e deixar quem tem competência fazer outros sistemas.

    É insuportável operar WMob. Trava o tempo inteiro e não tem interatividade, às vezes dispendendo tempo para entender como operá-lo, pois embora semelhante ao Win para PC, requer comandos bem diferentes. É um sistema pesado, lento e ultrapassado.

    Definitivamente, essa não é a praia da MS. Ademais, com a chegada do Androide, o Google finca bandeira na área de software livre, desonerando os custos dos tabletes e smartfones, e mantendo a qualidade em alto nível. Todo apoio ao software livre, será uma vitória da inteligência contra a ganância do Bill Gates e do Steve Jobs.

    • Paz

      Edvaldo:

      O maior problema que eu vejo com o novo Windows é o de a Microsoft insistir em criar um sistema operacional que sirva para vários dispositivos ao mesmo tempo.

      E você tocou num ponto fundamental: o Windows é pesadão. Mas para rodar em tablets ser leve é quase uma obrigação.

      Outra coisa, só para sermos justos: o Android até pode ser um sistema aberto, mas o Google vai faturar uma montanha de dinheiro com seus aplicativos.

  • Edvaldo

    Se a performance deste Windows 8 for semelhante à do Windows Mobile, a Microsoft pode ir tirando o time de campo e deixar quem tem competência fazer outros sistemas.

    É insuportável operar WMob. Trava o tempo inteiro e não tem interatividade, às vezes dispendendo tempo para entender como operá-lo, pois embora semelhante ao Win para PC, requer comandos bem diferentes. É um sistema pesado, lento e ultrapassado.

    Definitivamente, essa não é a praia da MS. Ademais, com a chegada do Androide, o Google finca bandeira na área de software livre, desonerando os custos dos tabletes e smartfones, e mantendo a qualidade em alto nível. Todo apoio ao software livre, será uma vitória da inteligência contra a ganância do Bill Gates e do Steve Jobs.

    • Paz

      Edvaldo:

      O maior problema que eu vejo com o novo Windows é o de a Microsoft insistir em criar um sistema operacional que sirva para vários dispositivos ao mesmo tempo.

      E você tocou num ponto fundamental: o Windows é pesadão. Mas para rodar em tablets ser leve é quase uma obrigação.

      Outra coisa, só para sermos justos: o Android até pode ser um sistema aberto, mas o Google vai faturar uma montanha de dinheiro com seus aplicativos.