Sim, é grande a possibilidade de o iPhone 8 vir com uma tela OLED de 5.8 polegadas, ocupando quase toda a parte frontal do aparelho.

O rumor se tornou ainda mais factível depois que a editoria de economia do respeitado jornal The Nihon Keizai Shinbun, do Japão, divulgar o pedido feito pela Apple à Samsung: 70 milhões de painéis OLED.

10 anos do iPhone

Se fosse seguir a tradição, a Apple deveria simplesmente lançar neste ano um iPhone7S e um iPhone7S Plus.

Mas 2017 marca os dez anos do lançamento do iPhone; então não seria nenhuma surpresa se a Apple decidisse colocar no mercado um modelo premium. Quem sabe, com o nome iPhone Edition, como sugere o site japonês MAC Otakara.

Se vier, o premium terá uma tela OLED envolvendo quase toda a parte frontal do aparelho, abraçada por um material de aço. Um cinza fosco?

Seria um apelo espetacular junto aos usuários da Apple.

De cara poderia eliminar o botão Home físico e abriria caminho para a introdução de um sistema de reconhecimento pela íris.

Evolução

Telas OLED são mais leves, gastam menos bateria, entregam cores mais estáveis e realistas. (De ruim, a menor duração).

Seria uma decisão ousada para uma empresa que sempre apostou num design tradicional, totalmente voltado para a experiência do usuário. Mas uma telona de altíssima definição abriria espaço para o conteúdo visual – vídeos, fotos e games – grandes apostas da Apple.

Fora isso, uma tela maior poderia ser justificada por uma edição especial de aniversário.

Já uma tela com alto brilho, como os samsungs, está fora de cogitação. Com certeza, a calibragem de cor ficará bem longe do padrão dos smartphones da empresa sul coreana.

Bordas?

O que ainda permanece um mistério, e motivo de grande discussão entre os usuários do iPhone, é a borda na tela. Seria igual ao do Galaxy S6, ou do Galaxy Note Edge (argh!) ?

Obviamente, não.

O design da Apple segue o padrão alemão; o “belo” deve estar ligado à experiência de uso. Já o design da Samsung é mais extravagante, seus smartphones acompanham um desenho cheio de pontas, misturadas a curvas.

Não acredito numa decisão muito radical da Apple. No máximo, no máximo, uma tela com uma sutil curvatura, que serviria apenas para uma pegada melhor.

Telas curvas, telas flexíveis

A produção de telas flexíveis são um dos maiores desafios dos pesquisadores. Mas produzir um suporte que se assemelhe a uma folha de papel, como imaginam, ainda é uma coisa para o futuro.

Já as telas curvas fazem parte de smartphones faz algum tempo. A LG, com o seu G Flex, a Samsung, o Galaxy Round. Depois vieram as telas com bordas curvas, como o Galaxy Note 4.

Foram apenas tentativas para conquistar novos clientes. Na prática, não oferecem uma vantagem para o consumidor. Pelo menos foi isso o que indicou o número de aparelhos vendidos.

Preços

Um quarto do custo de um smartphone fica na produção da tela, Nos iPhones chega a uns 50 dólares, valor maior do que a produção de qualquer outro componente (processador, memória, etc).

Já as telas AMOLED, da Samsung, alcançam um valor que varia entre 100 e 160 dólares. São valores que tendem a cair.

Então, o desafio para a Apple será produzir um dispositivo com tela OLED que não ultrapasse os preços dos iPhones atuais.

Se conseguir fechar esta conta, estaria conquistando um novo estágio dentro do mercado dos smartphones. Uma ação essencial para continuar na liderança.

J Paz Filho

J Paz Filho

Jornalista, faço a produção de conteúdo e a criação de websites - incluindo e-commerce.///Especialização em design na Unisinos///Editor de jornais e revistas especializados.///Faça um orçamento enviando uma mensagem no contato.
J Paz Filho

Últimos posts por J Paz Filho (exibir todos)